Ir para o conteúdo
ou

 Voltar a Notícias do ...
Tela cheia Sugerir um artigo

Ações do governo vão beneficiar cerca de 50 mil crianças e adolescentes no Rio de Janeiro

13 de Novembro de 2017, 21:38 , por jessica - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.
Visualizado 88 vezes
 
Governo
Estimular a participação de jovens em atividades esportivas, culturais e de tecnologia para prevenir a violência na capital carioca é o foco do Programa Emergencial de Ações Sociais para o Rio de Janeiro. O investimento total é de R$ 157 milhões e contempla ações nas áreas de educação, esporte, direitos humanos, defesa, cultura e justiça. O lançamento, realizado na manhã desta segunda-feira (13/11) na capital fluminense, contou com a presença do presidente da República, Michel Temer.
 
A Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) participa com o investimento de R$ 2,6 milhões do Plano Juventude Viva, criado pelo Governo Federal com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade de jovens expostos às situações de violência, com foco prioritário na juventude negra. Os recursos serão utilizados para contratação de profissionais, pagamento de encargos sociais, realização de obras, reforma de seis centros e aquisição de material de consumo.
 
Em seu pronunciamento, Michel Temer destacou a união entre os poderes e as ações conjuntas dos ministérios do Desenvolvimento Social, do Esporte, dos Direitos Humanos, da Defesa, da Justiça e da Educação e da Secretaria Nacional de Juventude. “A palavra chave é ‘integração’. Quando percebemos que todos os setores trabalham juntos, podemos dizer que o Brasil tem jeito. E cada vez mais futuro. Esta solenidade de hoje serve como exemplo porque ela traz o símbolo da paz por meio do esporte”, concluiu o presidente.
 
Os beneficiários do Programa Emergencial de Ações Sociais para o Rio de Janeiro devem estar inseridos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, preferencialmente atendidos pelo Bolsa Família. O programa deve atender 50 mil crianças e adolescentes de 6 a 17 anos das áreas do Complexo do Lins de Vasconcelos, Complexo do Alemão, Complexo da Penha, Complexo da Maré, Chapadão/Pedreira, Cidade de Deus e Vila Kennedy, Rocinha, Baixada Fluminense e Complexo do Salgueiro (São Gonçalo).
 
Os serviços oferecidos em oito unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e de seis unidades do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) serão ampliados. Será reforçado, também, o atendimento nos Centros POP das comunidades atendidas.
 
Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, a proposta é focalizar em áreas críticas para reduzir o nível de violência e resgatar a cidadania das comunidades. “Também vamos dar oportunidade aos jovens que estão nessas áreas de risco para mostrar que um outro mundo é possível, fora da violência do crime organizado. Vamos apoiá-los para que possam desenvolver suas potencialidades e construir uma perspectiva de vida melhor".
 
O Programa em números
• R$ 157 milhões em investimento
• Total de beneficiários: 50 mil jovens
Quem faz o Programa
• Ministério do Desenvolvimento Social
• Ministério da Defesa
• Ministério do Esporte
• Ministério da Educação
• Ministério da Justiça
• Ministério dos Direitos Humanos
• Ministério da Cultura
• Ministério da Saúde
• Secretaria Nacional da Juventude
Com informações do MDS

0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.